Entrevista Martha Vasconcelos

Martha Lúcia Vasconcelos, 37 anos.

Estudante de Direito.


Martha 01

Eu sofro preconceito principalmente por conta das minhas tatuagens. Eu passei por duas situações que me marcaram bastante, uma delas aconteceu no Centro de Maceió, que foi uma evangélica que quis me exorcizar e até hoje eu não sei por que. E outra, foi um senhor que, quando eu entrei numa loja de fotografia, falou várias palavras baixas para mim. Foram as coisas que considerei mais forte. No trabalho, na escola, eu não cheguei a sofrer tanto.

Martha 02

Na realidade, eu tinha muito medo por sempre gostar muito de tatuagem. Eu pensava que se um dia eu fizesse tatuagem, teria que ser por uma pessoa que eu amasse muito.

Sempre admirei muito o trabalho do cantor Netinho, foi aí quando surgiu a ideia de criar um fã clube, e acabei fazendo amizade com ele. A partir daí, eu criei a coragem de fazer a tatuagem, e fiz para o Netinho. Tanto que, eu tenho 24 tatuagens, e das 24, 19 são para ele.

Ele é o grande amor da minha vida e eu não nego isso para ninguém. Eu também não me importo com o que fulano ou sicrano vão falar. Para mim, não importa porque eu fiz por amor, eu fiz de coração. E quando a gente faz por amor, o que os outros vão falar não tem a mínima importância, não significa nada.

Martha 04

Eu tive muito medo da reação do meu pai, que sempre achou que tatuagem era uma coisa que não deveria ser colocada no corpo. Mas, depois, quando ele viu, e quando eu coloquei o nome dele também, tudo mudou. Eu não só fiz para o Netinho, eu também fiz para os outros amores da minha vida. Eu tatuei o nome da minha mãe, o nome do meu pai e o de uma tia que tem muito significado para mim. Então, tudo mudou na cabeça dele.

Eu não ligo para a opinião dos outros. Simplesmente, não ligo. Quer falar? Fale. Nem Jesus agradou a todos. Eu não tenho o poder de pedir a ninguém para parar de falar da minha vida ou não se meter nela. Para mim, vai entrar em um ouvido e sair pelo outro, porque não me interessa.

Martha 03

Ter sido vítima do preconceito mudou muito a minha compreensão. Na verdade, eu nunca fui uma pessoa preconceituosa em nada. A vida é de cada um, e cada um segue da maneira que quiser. Contanto que não faça mal a ninguém, pode fazer o que você quiser. Não tenho preconceito com ninguém. Tenho amizade com todo mundo, com gente de todas as classes sociais, de pensamentos bem diferentes. Eu respeito todo mundo!

Martha 05

O que eu posso deixar de recado para as pessoas que passam por situações como a minha é que não liguem. Por exemplo, tatuagem é algo em que você tem que pensar muito antes de fazer. Algumas pessoas vão fazer uma tatuagem que, naquele momento, queriam muito. De repente, por algum motivo, você enjoa dela. Então, é preciso pensar muito antes de fazer, por ser uma coisa definitiva. Então, como eu fiz para o Netinho e para a minha família que, para mim, são pessoas que serão para sempre os amores da minha vida, então, eu sei que não vou me arrepender.

Tatuagem é para sempre. Nunca vai sair de você. As consequências que você vai enfrentar no trabalho, de repente um namorado, futuro marido, enfim. Pessoas que não considerem aquilo normal vão falar. Você deve estar preparado para tudo isso.

♬) Uma música que quebra o meu silêncio é: Netinho @ Preciso de Você

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s